Os investidores franceses estão cada vez mais interessados em Portugal

More french buying real estate in Portugal

A popularidade de Portugal como um negócio internacional e destino de investimento está crescendo, presidente da câmara de comércio francesa Pierre Debourdeau disse durante uma reunião com o Presidente Português Cavaco Silva.

Os investidores franceses estão percebendo as melhores condições e o clima de negócios no país, o que contribuiu para mais interesse nas oportunidades que Portugal tem para oferecer aos investidores estrangeiros.

Portugal conseguiu realizar muito, especialmente quando se trata de custos e simplificação da legislação de emprego, disse Debourdeau.

Debourdeau também citou os resultados de um estudo recente conduzido pela câmara. O estudo dá uma olhada em vários destinos de investimento internacional que vão desde o Leste Europeu para os países do Norte Africano. De acordo com o estudo, Portugal conseguiu melhorar significativamente o seu posicionamento em comparação com outros destinos de investimento populares.

As empresas francesas já estabeleceram as suas posições em Portugal e muitos recém-chegados também estão a iniciar as suas operações no país, disse Debourdeau. Vinci é um grande exemplo de uma empresa francesa que está a começar em Portugal. Vinci ganhou o acordo de privatização dos aeroportos da ANA há dois anos.

A Vinci adquiriu a ANA no início de 2013 e o período de concessão é de 50 anos. O acordo inclui 10 aeroportos portugueses entre os quais em Lisboa, Faro, Beja e Porto. A Vinci adquiriu também quatro aeroportos dos Açores.

Altice é outra empresa francesa e um grande exemplo da nova tendência. Espera-se que a empresa assuma a PT Portugal – a empresa nacional de telecomunicações. O acordo de 7.400.000.000 euros foi aprovado no final de janeiro de 2015. A altice está na realidade já presente no mercado português – a empresa opera a cabovisao, uma operadora de telecomunicações privada no país.

A recuperação está vindo após um declínio sério no investimento extrangeiro em 2009 e em 2010. Desde então, o clima económico em Portugal vem melhorando e atraindo numerosos investidores de países europeus e de outros continentes.

O governo português tem visto o investimento directo estrangeiro (IDE) como uma prioridade desde então. Vários projetos foram lançados em uma vasta gama de indústrias como o desenvolvimento de energia renovável, infra-estrutura e telecomunicações.

Atualmente, os principais investidores estrangeiros vêm de Espanha (19,9 por cento), Bélgica (16,7 por cento), França (15,2 por cento), o Reino Unido (14,5 por cento) e Alemanha (11,3 por cento), relatórios Santander. Os setores que têm visto o investimento estrangeiro mais significativo incluem o comércio, fabricação, atividades financeiras, telecomunicações, utilitários, atividades científicas e construção.

Vários factores determinam actualmente a atratividade de Portugal como destino de investimento. Estes incluem baixo custo do trabalho, localização estratégica, a estabilidade sociopolítica do país, o clima ameno e a estabilidade da moeda. As empresas estrangeiras que investem no país também são muito susceptíveis de beneficiar de subsídios e incentivos financeiros. Para projetos de turismo, por exemplo, esses incentivos podem variar em qualquer lugar entre 15 e 50 por cento do valor geral do projeto. Incentivos financeiros regionais e programas também estão disponíveis.

Além disso, o governo português assinou um acordo bilateral com quase 50 países que simplificam o processo de investimento internacional. O país é também membro da agência multilateral de garantia de investimento desde 1988

Publicado em: Tributação / Dinheiro / O negócio