Exportação de vinhos portugueses em ascensão, países não membros da UE trazem demanda

As exportações portuguesas de vinho cresceram nos três primeiros trimestres de 2013 para ultrapassar 500 milhões euros, informou o Instituto de videiras e vinhos. O crescimento totaliza 4,5 por cento em uma base anual.

O terceiro trimestre de 2013 foi o mais favorável para os produtores de vinho portugueses. Os montantes exportados totais aumentaram 7,4 por cento. A exportação para países não membros da UE cresceu 15,2 por cento para representar quase 50 por cento da exportação global para o terceiro trimestre de 2013. Os novos mercados fora da UE têm sido uma das principais razões para o crescimento exponencial.

De acordo com o Instituto de videiras e vinhos, o preço médio do vinho também cresceu nos três primeiros trimestres de 2013. O aumento totalizou 11,1 por cento. Resultou do equilíbrio do mercado entre os preços dos vinhos nos países da UE e não da UE.

Alguns dos mercados mais activos que os fabricantes de vinho portugueses trabalham incluem os EUA, Canadá, Angola, Suíça e Brasil. De acordo com as previsões do Instituto, o volume de exportação global poderia exceder 700 milhões euros se a tendência ascendente continua até o final de 2013.

De acordo com outro relatório publicado pela Agência de notícias Xinhua, a China é outro mercado incrivelmente promissor que tem demonstrado interesse significativo em vinhos portugueses. Nos últimos três anos, as exportações portuguesas de vinho para a China quase triplicaram. No primeiro semestre de 2013, as exportações de vinho para a China gerou 8,7 milhões euros. O país é o quinto maior mercado de Portugal fora da Europa, informou Xinhua.

A tendência resultou do aumento da procura de vinhos de qualidade na China. Os consumidores chineses estão habituados a desfrutar de bons vinhos, o que proporciona grandes oportunidades para os produtores portugueses.

Outros mercados emergentes como o Brasil e Angola estão vendo tendências semelhantes desde que o gosto dos consumidores locais está evoluindo, o Instituto de videira e vinhos Presidente Frederico Falcao disse em uma entrevista para a Bloomberg. Apenas recentemente, uma garrafa de vinho português fino vendido por 21.600 dólares durante um leilão em Angola.

O relatório Bloomberg prevê que os produtores de vinho portugueses podem até ter problemas com a sua capacidade de satisfazer a crescente procura de vinhos locais finos. Os produtores de vinho poderão em breve experimentar a necessidade de investir em novas tecnologias que lhes permitam aumentar a produtividade e satisfazer a procura internacional.

Parece que a fama internacional dos vinhos portugueses continuará a crescer e a forma como os fabricantes locais responderão vai ser determinante para o futuro desenvolvimento da tendência.

Um relatório de dezembro de Manchester Evening News sugere que os vinhos portugueses são uma grande seleção para o Natal 2013. A vasta gama e a versatilidade dos vinhos portugueses distingue-as de outras opções de mercado, conclui o relatório.

Alguns dos exemplos de multas apresentados na revisão do Manchester Evening News incluem vinhos da região alentejana que incluem uma mistura de castas locais como Arinto, roupeiro e antao Vaz. Os produtores de vinho locais concentraram-se na qualidade superior, criando várias séries de edição limitada e seguindo as tradições portuguesas de vinificação para criar produtos excepcionais que merecem fama internacional.

A variedade de vinhos doces portugueses também foi incluída na selecção de opções requintadas para o agradável jantar de Natal.

Publicado em: Saúde / Guia para Portugal / O negócio